Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

DOS ANIVERSÁRIOS DO LULA ATÉ 31 DE ABRIL

 em Registral

Telefonou-me gentil senhora, aflita, motivada por um artigo publicado neste espaço, noutro dia, acerca dos aniversários do Presidente Lula. Agora, também a senhora ao telefone relata igual problema, com um agravante: foi registrada quando tinha cinco anos de idade, e para não pagar multa, o pai declarou que a menina tinha cinco dias, não cinco anos.

Assim, passou a ir à escola ao completar seis anos, ou seja, aos onze. A matrícula para o curso primário não era possível sem a certidão, e lá, na certidão, ela só tinha um ano de idade, aos seis – que confusão. Por isso, seis mais cinco, onze, ou seja, seis anos no papel e onze de sofrimentos, que a vida era dura naqueles tempos, começou a conhecer o abecê dos livros quando já estava letrada no beabá da vida, mocinha com vergonha do sutiã – era a única que usava, na classe inteira.

Agora, passada sua infância, que quase não teve, passada a adolescência, que nem viu passar, passado o casamento – teve que esperar até os 21 para casar, porque foi aí que completou 16 anos no papel, ficou viúva aos 17, significando 22 anos, com um filho para criar e outro na barriga, e passado tudo isso e muito mais, e tendo agora chegado à velhice, com idade vivida suficiente para aposentar-se, falta-lhe idade de papel para obter o justo benefício. Em outras palavras, está hoje com 60 anos bem sofridos na carcaça (foi ela que usou a expressão), e apenas 55 na certidão, na carteira de identidade “e até no CPF” – resmungou ao telefone. Que fazer?

Orientei-a para que procure um advogado e ingresse em juízo, com pedido de retificação de registro civil, fazendo prova do erro com a certidão de batismo, que ela disse estar com a data correta, além de prova testemunhal, quem sabe alguma professora da época, alguns colegas do primário, enfim, quantos possam dizer ao juiz que de fato a conhecem, desde a infância, sabedores de sua idade real, de modo a convencer o magistrado quanto à sua verdadeira idade.

Alertei-a sobre os riscos, a exemplo da decisão que segue: “APELAÇÃO. REGISTRO CIVIL. DATA DE NASCIMENTO. RETIFICAÇÃO. PROVA. A inexistência de prova segura, ou ao menos coerentes entre si, inviabiliza a alteração da data de nascimento. A certidão de batismo, por si só, não serve de prova para alterar registro civil. NEGARAM PROVIMENTO.” (APELAÇÃO CÍVEL Nº 70013799200, OITAVA CÂMARA CÍVEL, TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RS, RELATOR: RUI PORTANOVA, JULGADO EM 02/03/2006)

O relato da pobre senhora fez-me recordar um fato insólito, quando pleiteada retificação de data de nascimento, que havia constado no registro como 31 de abril. Convicto da decisão favorável, o advogado da requerente juntou certidão de batismo à petição, e nada mais, por entender nada mais ser preciso. Recebido e autuado o pedido, o magistrado abriu vistas – art. 109 da Lei dos Registros Públicos – ao órgão do Ministério Público, que exarou o seguinte parecer: “Prove a requerente não ter nascido em 31 de abril”.

Ad-probationem, meu saudoso amigo e professor, patrono da causa, Dr. José Ivo Dias da Silva, requereu a juntada aos autos de um calendário, ressalvando ainda, por medida de maior segurança, que abril termina sempre no dia 30, e diferentemente do que ocorre em fevereiro, sem nenhuma chance de prorrogação.

Tanto restando provado, a decisão foi favorável, enfim.

 
 

 

 

Últimos posts
Showing 0 comments
  • J. Hildor
    Responder

    Acabei de comunicar a boa senhora que tem 60 anos na carcaça, como ela mesma diz, e 55 no papel, sobre recente decisão favorável, do TJ/RS, em caso semelhante, e com diferença de idade ainda maior: 8 anos. Segue a ementa.
    APELAÇÃO CÍVEL. RETIFICAÇÃO DE REGISTRO CIVIL. Sendo a certidão de batismo de data anterior à data do nascimento, evidente que a constante no registro civil não é a correta. O registro eclesiástico aliado à prova testemunhal coligida é suficiente para retificar a data de nascimento constante no registro civil. RECURSO PROVIDO. EM MONOCRÁTICA. (TJRS – Aci n° 70030311385 – Rio Pardo – 8ª Câm. Cível – Rel. Des. Rui Portanova – DJ. 12.07.2009).

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar