Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Direitos Autorais na Web

 em Noticias

 

*Angelo Volpi Neto

 

 

Na semana passada o Tribunal de Justiça do Paraná proferiu decisão inédita no país referente a direitos autorais de músicas baixadas pela internet. A ação foi fundamentada com ata notarial lavrada pelo 7º tabelionato de Curitiba. Neste instrumento que somou cerca de 700 páginas, foi simulado todo  o processo de gravação das músicas cuja propriedade autoral é dos sócios da Associação Protetora de Direitos Intelectuais Fonográficos.

A intenção dos patrocinadores da ação era  comprovar a intermediação feita pelo site chamado K-Lite Nitro, através de programa conhecido como P2P (peer-to-peer), ou seja, pessoa para pessoa. A decisão é a primeira no Brasil a tratar do que é hoje uma prática amplamente disseminada, a de gravar músicas sem o pagamento dos direitos autorais. A defesa do réu baseou-se no fato de que ele apenas disponibiliza uma ferramenta para que os internautas assim procedam e que os mesmos possam usá-la para gravar músicas cujos direitos são livres. E, portanto, não é sua responsabilidade se alguns usam o software para baixar conteúdos sob proteção de direitos autorais.  Esta tese foi acatada a princípio pelo juízo da 13ª Vara Cívil, em cuja decisão comparou o fato a um produtor de facas, que tanto podem ser usadas na culinária ou como instrumento para matar alguém.

Inconformado com a decisão os autores recorreram. O TJ-Pr entendeu que há sim flagrante violação aos direitos autorais, patrocinado pelo referido site que explora comercialmente o produto, inclusive com propaganda, o que foi comprovado pela ata notarial. Uma decisão interlocutória já havia determinado preliminarmente a inclusão de filtros, que impossibilitassem a gravação de músicas sob os direitos autorais dos membros da associação. Mas, a própria defesa reconheceu ser tecnicamente inviável tal medida, e assim, o juízo entendendo que; “ em se tratando de direitos incorpóreos como  são os de propriedade intelectual,a individualização da extensão dos danos é de difícil aferição, culminando na decisão de ordenar a retirada do site da web.” O tema é polêmico e certamente renderá recursos, seu desenrolar irá contribuir sobremaneira para marcar limites e buscar parâmetros. E você, caro leitor, ou seu filho, que está acostumado a baixar músicas sem pagar os direitos autorais, saiba que a cada dia a probabilidade de punição se aproxima.

 

* Tabelião de Notas em Curitiba, angelo@volpi.not.br, escreve todas as segundas nesse espaço. www.jornaldoestado.com.br

 

 

Últimos posts

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar