Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

ERESP. Prazer em conhecer.

 em Notarial

ERESP.  Prazer  em conhecer!

Eu, ignaro tabelião no interior, envergonhado, não soube, de pronto, responder à consulta de um cliente que telefonou para o cartório questionando o porquê da cópia aqui autenticada, mas com destino a país estrangeiro, deveria previamente, segundo suas próprias palavras,  passar pelo ERESP.

Não fosse o oráculo da modernidade, que atende instantaneamente no endereço mais popular da internet (google ponto com), encontrar-me-ia em apuros e haveria de demorar algum tempo até achar uma resposta satisfatória para o cidadão.

Provavelmente era o único tabelião que desconhecia a existência deste órgão em São Paulo, mas para o caso de existir outro que me acompanhe na ignorância e algum eventual leitor que igualmente desconheça – me pergunto, acaso haverá algum?  (referindo-me à existência de leitor e não, por óbvio, cidadão que desconhece o ERESP)  –  explicarei o fundamento daquela exigência, com a satisfação única que o conhecimento dá a quem o possui e o prazer inigualável que resulta de seu compartilhamento.

O termo que me era desconhecido, ERESP, é a sigla que identifica o Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo e que se localiza na Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini n° 1297,  bairro Cidade Monções em São Paulo, capital, CEP 04571-010, telefone (11) 5102-2526. A função de tal escritório é a realização da providência popularmente conhecida no meio notarial como “consularização”.

Esta providência burocrática, tecnicamente denominada legalização, imagino, não é desconhecida de ninguém (mesmo eu, com toda minha ignorância, já a conhecia de longa data), é providência análoga à que se deve adotar quando se depara, aqui no país, com documento de origem estrangeira: o tabelião ou funcionário que recebe tal espécie de documento necessita da atuação prévia de um agente consular para certificar sua validade, pois dele, funcionário, não pode ser exigido o  conhecimento de documentos procedentes do estrangeiro, ainda que redigidos em língua portuguesa.

O mais interessante de tudo isso, inusitado mesmo, foi descobrir que o serviço necessitado pelo usuário pode ser feito pelo correio e gratuitamente. Para tanto basta seguir as instruções constantes na página do Ministério das Relações exteriores. Segue o link: http://www.portalconsular.mre.gov.br/legalizacao-de-documentos/Legalizacao%20ERESP.doc/view?searchterm=eresp  

Interessante acrescentar o fato de que, além deste escritório paulista, o Itamaraty mantém outros com a mesma atribuição em mais alguns Estados da Federação, mas não em todos,  eis a relação deles e seus nomes curiosos:

EREMINAS – Escritório de Representação em Minas Gerais.

EREPAR – Escritório de Representação no Paraná.

ERESC – Escritório de Representação em Santa Catarina

ERENOR – Escritório de Representação na Região Norte.

ERESUL – Escritório de Representação no Rio Grande do Sul,

ERENE – Escritório de Representação no Nordeste.

ERERIO – Escritório de Representação no Rio de Janeiro.

Últimos posts
Showing 0 comments
  • JOSÉ ANTONIO ORTEGA RUIZ
    Responder

    MARCO ANTONIO. Prazer também. Sem maiores observações, comungando com tudo que disseste. Um abraço. José Antonio – Amaporã-PR.

  • Ivaldir Trentin
    Responder

    Prazer também. Quando vinha um documento do estrangeiro, pedia para autenticar primeiro no consulado brasileiro no pais de origem, para depois fazer os procedimentos aqui no Brasil.

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar