Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

novas regras para envio de email

 em Doc. Eletrônico

 

NOVAS REGRAS PARA ENVIO DE E-MAIL

 

         Foi aprovado, depois de muito debate, um Código de Autorregulamentação para envio dos chamados “emails marketing”, que para muitos são confundidos com spams. A diferença é tênue e controversa, supostamente os emails marketing são divulgação de produtos legais e os spams, casos de polícia, pois, escondem códigos e mensagens maliciosas.  Confesso que fiquei surpreso e feliz com a qualidade do mesmo, mas não sendo lei, creio que sua eficácia será relativa. Os conceitos de opt-in e opt-out, já consagrados mundialmente, que obrigam que a mensagem antes de ser enviada tenha prévia permissão do destinatário (opt-in), e que na mesma tenha opções de descadastramento (opt-out) foram observados. Sendo acrescido ainda o conceito de soft-opt-in, que é quando a empresa já tem uma relação comercial com o cliente e lhe disponibiliza seu endereço. O Código é firmado por dez associações e foi capitaneado pelo Comitê Gestor de Internet, que teve seu processo acelerado diante da proposta do projeto de lei 21/2004 do senador Eduardo Azeredo( PSDB-MG) que prevê multas de R$50,00 até R$ 500,00 para quem envia spam. O referido considera ético somente as mensagens que claramente identificam o remetente com endereço de email válido. Isso já é um avanço, pois, permite que o destinatário tenha possibilidade de comunicar-se com o remetente no mesmo nível, ou seja, sem o risco de ser remetido a um endereço que possa conter vírus. Este endereço deverá ter domínio próprio, obrigando o vínculo do nome da empresa, e ainda deverá ter o assunto relacionado ao conteúdo. Outra medida bastante salutar e que foi palco de grandes polêmicas, é a vedação do primeiro e-mail sem a permissão do destinatário, para envios posteriores. Um problema usual que este Código procura estancar é o comércio de bases de dados de destinatários, proibindo que as empresas forneçam as listas sem o prévio consentimento dos usuários. Assim, caros leitores, temos ao que parece um excelente parâmetro de ética a ser observado pelo comércio. Somente com o tempo e a ação de nós usuários é que poderemos saber se poderemos viver pacificamente com nossas caixas de mensagens, porque do jeito que as coisas andam não dá para continuar. O Código esta disponível em nossa página www.volpi.not.br.

Últimos posts
Showing 0 comments
  • ROGERIO
    Responder

    Prezado colega, Volpi:
    Pensava em comparecer ao nosso congresso, em Porto das Galinhas, mas por motivo de enfermidade na família tive que ausentar. Daqui, somente imagino o sucesso ocorrido. Narre a síntese do evento no blog com sua maestria notarial.
    O tema acima comentado é doravante interessante na regulamentação dos e.mails. A Corregedoria de Justiça fluminense há cerca de um ano cobrou de nós um cadastro de endereços eletrônicos, registrando-os. Assim, os ofícios são remetidos por este sistema, com mensagem de retorno. Nòs conhecemos o remetente e a mesma conhece seus destinatários. Houve identificação prévia.
    Outra alternativa é a remessa de e.mails assinados digitalmente. Isto porque a mensagem somente é válida como prova documental, quando se possa identificá-la.
    Interessante foi tal normatização, que há muito necessitava, atingindo até mesmo os spans e outras notas indesejáveis de publicidades. Tudo deve ter seu limite.
    Ats.,
    Rogério Marques Sequeira Costa
    1º Ofício de Itaocara RJ

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar