Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Dicionário: o cartório da língua

 em Diversos

O cartório da língua é o dicionário

Se existe um tipo de livro muito consultado e pouco lido é o dicionário. Dele se espera unicamente uma resposta, de preferência rápida e esclarecedora de uma dúvida que incomoda o seu leitor. O que se deseja, geralmente, é apenas obter uma simples e objetiva resposta; toma-se em mãos tal livro, busca-se uma palavra que gera dúvida em sua grafia ou significado e logo em seguida o devolve à estante. A  maioria das pessoas faz isso e se dá por satisfeita.

Muito interessante a definição dada para a função deste tipo de livro pelo conhecido Professor Pasquale Cipro Neto.  Em 01 de novembro de 2012, em sua coluna semanal do Jornal Folha de São Paulo, sob o título  Haddad e o "adéquam",  ele escreveu:

Como já afirmei diversas vezes neste espaço, o senhor da língua é o uso; como também já afirmei várias vezes, um dicionário é (ou deveria ser) o cartório da língua, ou seja, registra (e não determina) o que é uso, tomando por base os diversos registros da língua (o formal, o informal etc.). O dicionário não deve determinar o que pode ou não pode ser usado; deve registrar o que é usado e indicar em que caso ocorre o uso.  (sem grifo no original e com acesso possível emhttp://www1.folha.uol.com.br/colunas/pasquale/1178689-haddad-e-o-adequam.shtml )

Para ser o cartório da língua, ou seja, para assumir o papel de repositório onde se encontre o registro dos termos usados pelos falantes e escritores, realmente o dicionário deve ser escrito de forma tal que limite-se e reproduzir os diversos significados atribuídos às palavras por quem as utiliza.

Não se deve esperar localizar em suas páginas o significado exato, preciso ou técnico de uma palavra ou ainda informação sobre o uso correto (ou incorreto) de uma palavra.

O fato é que classificar como certa ou errada uma definição técnica de um termo dada por um  dicionário não é algo fácil de ser realizado.   O erro ou o acerto da definição fornecida pelo dicionarista depende do critério ou do aspecto pelo qual se analisa o significado da palavra.

Exemplo interessante desta dificuldade é o registro que se faz nos dicionários de que os termos profissão e ocupação seriam sinônimos.

No uso comum, inegavelmente, a distinção praticamente se perde, entretanto, pelo aspecto econômico e legal, existem diferenças importantes entre os conceitos de profissão e ocupação e, por tal motivo, na atividade notarial e registral esta diferença não deve ser ignorada.

Este fato em particular será objeto de outro artigo a ser redigido por este tabelião de notas (uma profissão regulamentada por lei) e que em suas horas de ócio produtivo tem a ocupação de escritor / colunista deste blog. 

 

 

Últimos posts
Showing 0 comments
  • J. Hildor
    Responder

    Muito bom. Fiquemos agora aguardando o autor nos brindar com o outro artigo, esclarecendo sobre profissão e ocupação.

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar