Dia do Professor

 em Diversos

15 de outubro. Hoje é comemorado do Dia do Professor.
Quem não se encontra, no momento presente, diretamente ligado ao ambiente escolar, ou acadêmico (a escola de nível superior), nem se lembra disso, mas é fato. Comemora-se  hoje uma das datas mais significativas do calendário.

Sem professor não existe transmissão de saber científico.

Evidente que não se pode negar a fundamental importância dos pais e da família em geral na transmissão dos conhecimentos, na educação das crianças, na formação das novas gerações.

É fato que, mesmo na ausência deste tipo especial de profissional, que hoje se homenageia – o professor – o conhecimento de uma geração transfere-se para a outra, mas esta transmissão de saber não é sistematizada, coerente com princípios fundamentais ou um projeto de transmissão de cultura. Em última análise, a transmissão de saber que se faz é isenta de um ideal de construção da sociedade futura e da manutenção das conquistas históricas.

O professor não pode mesmo substituir os pais, os amigos, a influência que o ambiente social  (para o bem ou para o mal )  exerce na construção do caráter e da identidade de uma geração. Entretanto, sem dúvida alguma, é possível afirmar que sem o auxílio deste profissional tão especial o conhecimento do passado não seria transmitido adequadamente para as novas gerações.

As conquistas do conhecimento humano, sem a ajuda do professor, se perderiam irremediavelmente.

Por que o dia 15 de outubro e não qualquer outro?  Quem foram os divulgadores desta brilhante ideia de homenagear o professor com uma data especial? Desde quando ela existe em nosso país? E no resto do mundo, ela é comemorada igualmente, e na mesma data?

Se o leitor tem as mesmas dúvidas  que o autor, fica a provocação: pesquise nesta internet.

Não é difícil achar taos respostas.

Não será este tabelião – que também, por formação é professor e, por algum período em sua juventude, já exerceu esta nobre profissão – que irá responder a todas estas questões acima colocadas. Aliás, os bons professores, além de respostas prontas, costumam oferecer a seus alunos muitas perguntas e o caminho para que eles próprios, seus estimados alunos, encontrem sozinhos a respostas para as perguntas que lhes incomodam.

Encerro este texto, já noite do dia 15, relembrando o primeiro ato lavrado em meu tabelionado.

A união estável declarada pela escritura, feita na manhã do dia de hoje, envolvia uma professora e seu companheiro de longa data, ambos preocupados com a obtenção de um documento seguro a garantir eventual pensão para o sobrevivente ao falecimento de qualquer deles.

Foi na redação do ato que associei os fatos –  aos quinze de outubro, perante mim compareceu, fulana de tal,  professora…

Antes mesmo do início da  leitura do texto, fiz questão de parabenizar minha cliente; que já não é jovem mas que adorou a ocasião de exaltar a profissão que ainda exerce e que lhe é fonte de muita alegria e satisfação.

 

Últimos posts

Deixe um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para buscar